• Rádio Douro Nacional...9 Anos!

    Rádio Douro Nacional...9 Anos!

  • Rádio Douro Nacional - Lamego é a 𝗥Á𝗗𝗜𝗢 𝗢𝗙𝗜𝗖𝗜𝗔𝗟 𝗗𝗔𝗦 𝗙𝗘𝗦𝗧𝗔𝗦 𝗗𝗘 𝗟𝗔𝗠𝗘𝗚𝗢 𝟮𝟬𝟮𝟮

    Rádio Douro Nacional - Lamego é a 𝗥Á𝗗𝗜𝗢 𝗢𝗙𝗜𝗖𝗜𝗔𝗟 𝗗𝗔𝗦 𝗙𝗘𝗦𝗧𝗔𝗦 𝗗𝗘 𝗟𝗔𝗠𝗘𝗚𝗢 𝟮𝟬𝟮𝟮

  • Evocação do Dia da Liberdade em Lamego aborda prática da corrupção

    Evocação do Dia da Liberdade em Lamego aborda prática da corrupção

  • Cavacas de Resende regressam com dois dias de festa

    Cavacas de Resende regressam com dois dias de festa

  • Convento de Ferreirim reabriu ao público com apoio do Município de Lamego

    Convento de Ferreirim reabriu ao público com apoio do Município de Lamego

  • Município de Tarouca entrega dispositivos de teleassistência a idosos do concelho

    Município de Tarouca entrega dispositivos de teleassistência a idosos do concelho

Retro-escavadora localizada no rio Paiva, sem sinal do condutor

Foi esta segunda-feira localizada, em Castro Daire, a retroescavadora arrastada para o rio Paiva, na passada sexta-feira, devido a um aluimento de terras. Do condutor que operava a máquina ainda não há sinal, apurou o JN.
A máquina foi localizada pelas 14.30 horas. Mergulhadores estão no rio Paiva para tentar encontrar o condutor.
O condutor da retroescavadora está desaparecido desde sexta-feira na localidade de Ribolhos, no concelho de Castro Daire, onde ocorreu um aluimento de terras, junto ao rio Paiva.
Os fortes efeitos do mau tempo, que se fizeram sentir desde quarta-feira, provocaram dois mortos, deixaram 144 pessoas desalojadas e 352 pessoas deslocadas por precaução, registando-se mais de 11.600 ocorrências no continente português, na maioria inundações e quedas de árvore.
O mau tempo provocado pela depressão Elsa, entre quarta e sexta-feira, a que se juntou no sábado o impacto da depressão Fabien, provocou também condicionamentos na circulação rodoviária, bem como danos na rede elétrica, afetando a distribuição de energia a milhares de pessoas, em especial na região Centro.
Segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil, os caudais dos rios estão a "regressar à normalidade", mantendo-se apenas a situação da zona do baixo Mondego, no distrito de Coimbra, como a mais preocupante.
fonte - JN