• Rádio Douro Nacional...8 Anos!

    Rádio Douro Nacional...8 Anos!

  • Homem detido por incêndio florestal em Lamego

    Homem detido por incêndio florestal em Lamego

  • GNR fecha restaurante com clientes a beber álcool

    GNR fecha restaurante com clientes a beber álcool

  • Duas mulheres e dois homens roubavam rails da Autoestrada A24

    Duas mulheres e dois homens roubavam rails da Autoestrada A24

  • Câmara Municipal de Lamego investe 12 milhões de euros em obras de requalificação e reabilitação

    Câmara Municipal de Lamego investe 12 milhões de euros em obras de requalificação e reabilitação

  • Escolas básicas de Santa Marta de Penaguião dotadas de acesso ao WI-Fi

    Escolas básicas de Santa Marta de Penaguião dotadas de acesso ao WI-Fi

Misericórdia de Lamego agraciada com a Medalha de Ouro da Cidade

A Câmara Municipal de Lamego agraciou com a Medalha de Ouro da Cidade a Santa Casa da Misericórdia de Lamego, em cerimónia realizada a 12 de dezembro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Com mais de cinco séculos de existência, esta instituição de solidariedade social foi distinguida tendo em conta a sua "exemplar dedicação à causa pública, por assinaláveis serviços prestados em prol do engrandecimento, elevação e dignificação do Município de Lamego, em diversos domínios, contribuindo inegavelmente para maior renome para a cidade". "Quero agradecer e reconhecer o trabalho desenvolvido por esta Santa Casa ao longo de 501 anos de dádiva e generosidade, augurando no futuro a continuação de um trabalho de excelência em prol dos mais desfavorecidos. No momento muito difícil que atravessamos, as IPSS's, e as misericórdias em particular, são um complemento muito importante na concretização da missão do Estado na área da ação social", fundamentou, desta forma, o Presidente Ângelo Moura a realização desta homenagem pública. Durante o discurso de agradecimento que proferiu, o Provedor António Marques Luís defendeu que as misericórdias portuguesas souberam resistir e a adaptar-se a diferentes momentos na História, porque "foram sempre espaços de democracia e mantiveram a equidistância entre o poder político e o poder eclesiástico". A poucos dias de terminar a sua missão à frente dos destinos da mais antiga e importante instituição do setor social do concelho, Marques Luís defendeu ainda que as Santas Casas devem ser orientadas através de uma "gestão empresarial, mas com uma visão social". "Quanto mais olho para o nosso riquíssimo passado, mais tenho a certeza que somos uma instituição de futuro", sublinhou.