• Liga Contra o Cancro está a recrutar voluntários para o Peditório Nacional

    Liga Contra o Cancro está a recrutar voluntários para o Peditório Nacional

  • Operação “Censos Sénior 2021” da GNR

    Operação “Censos Sénior 2021” da GNR

  • Rádio Douro Nacional...8 Anos!

    Rádio Douro Nacional...8 Anos!

  • Ângelo Moura sai da Câmara “de consciência tranquila”

    Ângelo Moura sai da Câmara “de consciência tranquila”

  • Francisco Lopes volta à Câmara de Lamego quatro anos depois

    Francisco Lopes volta à Câmara de Lamego quatro anos depois

  • Rádio Douro Nacional - Lamego

    Rádio Douro Nacional - Lamego

CIM Terras de Trás-os-Montes satisfeita com estratégia transfronteiriça

O presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) Terras de Trás-os-Montes, Artur Nunes, mostrou-se hoje satisfeito com a Estratégia Comum de Desenvolvimento Transfronteiriço (ECDT) por contemplar as reivindicações deste território.

Os governos de Portugal e de Espanha aprovaram hoje uma estratégia comum para o desenvolvimento da fronteira, que foi o centro da 31.ª Cimeira Luso-Espanhola, que decorreu na cidade da Guarda. “Eu penso que é muito positivo porque de facto todas as linhas que foram apresentadas estão plasmadas neste documento”, disse à Lusa o presidente da CIM que abrange nove concelhos do distrito de Bragança, concretamente Bragança, Alfândega da Fé, Mirandela, Macedo de Cavaleiros, Vimioso, Vinhais, Mogadouro, Miranda do Douro e Vila Flor. Os presidentes desta e de outras CIM assistiram hoje, na Guarda, à apresentação das linhas gerais da estratégia ibérica para a fronteira e Artur Nunes considerou que está de acordo com as expectativas, desde as ligações rodoviárias, ao cartão de cidadão transfronteiriço, ao nível dos serviços, da saúde, da proteção civil. “O que nós pedíamos, aquilo que falávamos no diagnóstico, penso que está concretizado neste conjunto de ideias”, reiterou. O presidente da CIM Terras de Trás-os-Montes acrescentou que os autarcas vão ficar atentos e “monitorizar” a execução “para ver se efetivamente vão ser concretizadas todas estas linhas”, nomeadamente as relativas ao desenvolvimento do eixo transfronteiriço de Trás-os-Montes, em Portugal, e Castela e Leão, em Espanha. Os autarcas deste território viram atendidas na estratégia comum para a fronteiriça as principais reivindicações rodoviárias, nomeadamente a ligação de Bragança a Puebla de Sanábria, a ligação do itinerário IC5 a Espanha, na zona de Miranda do Douro, e a nova ambição regional da ligação de Macedo de Cavaleiros a Vinhais e à Gudinã. Artur Nunes destacou também a promessa do Governo português que cria a expectativa de o Nordeste Transmontano poder vir a ter novamente comboio, depois de o ministro das Infraestruturas “ter dito que todas as capitais de distrito vão estar ligadas pela ferrovia”. Os municípios das Terras de Trás-os-Montes destacam também a integração na estratégia da A11, a autoestrada espanhola que vai ligar a A4, em Quintanilha (Bragança) a Zamora e à rede de autoestradas espanholas.