• Resolução que limita deslocações permite declarações de honra e ida a espetáculos

    Resolução que limita deslocações permite declarações de honra e ida a espetáculos

  • Rádio Douro Nacional...7 Anos !

    Rádio Douro Nacional...7 Anos !

  • Uma vítima mortal em atropelamento

    Uma vítima mortal em atropelamento

  • Rádio Douro Nacional - Lamego

    Rádio Douro Nacional - Lamego

  • Cemitérios abertos em Lamego mas com acesso condicionado no Dia de Todos os Santos

    Cemitérios abertos em Lamego mas com acesso condicionado no Dia de Todos os Santos

Elementos do Exército e Cruz Vermelha apoiam lar de Vila Real

Elementos do Exército e da Cruz Vermelha vão substituir esta noite uma parte dos funcionários do Lar da Nossa Senhora das Dores, em Vila Real, onde permanecem cerca de 60 utentes que foram esta quarta-feira testados à Covid-19. Neste lar, localizado no centro da cidade de Vila Real, foram identificados 13 utentes e sete funcionários com Covid-19.

Depois de retirados, durante a manhã, os utentes infetados, o INEM procedeu à realização de testes a todos os restantes residentes e funcionários que ainda permanecem na Instituição Particular de Solidariedade Social. Fonte da câmara de Vila Real explicou que hoje já não haverá transporte de mais utentes e que elementos do Exército, incluindo um enfermeiro, e da Cruz Vermelha Portuguesa irão entrar no lar para substituir uma parte dos funcionários. Dentro das instalações estão 17 colaboradores e vão sair sete. De acordo com a fonte, estes funcionários irão ser encaminhados para as suas casas para cumprirem o isolamento profilático determinado na terça-feira pela delegada de saúde. Na quinta-feira e em consequência dos resultados dos testes realizados hoje serão anunciadas novas medidas. "Esperamos pelos resultados dos testes para depois verificar junto dos ministérios da Segurança Social e da Saúde para onde devemos direcionar e como direcionar estes utentes para que o lar possa ser desinfetado", afirmou à agência Lusa o presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos. Para o autarca, a permanência dos idosos no edifício "não é uma solução porque não há funcionários e as instalações precisam de ser desinfestadas". "Os residentes, atendendo à sua idade, às diferentes patologias de que padecem e ao facto de terem ou não coronavírus, precisam de ter um atendimento capaz de responder a todas estas questões", frisou. Depois de ter sido detetado o primeiro idoso com Covid-19, no domingo, foram testados 15 utentes, dando 13 positivos, e oito profissionais, dando sete positivos. Na terça-feira à noite foi anunciada a evacuação do lar e durante a manhã de hoje foram transferidos 11 utentes com Covid-19 para o hospital militar do Porto. Os restantes dois idosos já estavam internados no Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD). A informação inicialmente avançada apontava para a transferência dos restantes utentes para o hospital militar improvisado no quartel de Braga mas, entretanto, foi decidido avançar com a realização de testes a todos os idosos e funcionários. Precisamente por causa da cadeia de contacto identificada no Lar da Nossa Senhora das Dores, o município acionou terça-feira o plano de emergência municipal. A autarquia explicou que esta ativação decorre essencialmente da "necessidade de aprofundar a articulação entre as várias entidades com um papel na pandemia de Covid-19 e de centralizar a informação sobre todas as questões relacionadas com o combate". Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 2 de abril e esta quarta-feira registava 43 mortes e 2.995 infeções associadas à Covid-19, segundo a Direção-Geral da Saúde.

JN