• Rádio Douro Nacional... 7 Anos!

    Rádio Douro Nacional... 7 Anos!

  • Camião ardeu na A24 e condicionou trânsito

    Camião ardeu na A24 e condicionou trânsito

  • Rádio Douro Nacional - Lamego

    Rádio Douro Nacional - Lamego

  • Homem de 27 anos morre em acidente com trator agrícola

    Homem de 27 anos morre em acidente com trator agrícola

  • Mulher de Lamego detida por posse ilegal de armas

    Mulher de Lamego detida por posse ilegal de armas

Eleições para a Casa do Douro marcadas para 16 de maio

As primeiras eleições para a direção Casa do Douro reinstitucionalizada e para o conselho geral vão realizar-se a 16 de maio, segundo uma portaria do Ministério da Agricultura publicada hoje em Diário da República. A nova lei, que entrou em vigor a 01 de janeiro e foi aprovada na Assembleia da República, reinstitucionalizou a Casa do Douro, com sede em Peso da Régua, como associação pública e de inscrição obrigatória.

Foi publicada hoje em Diário da República a portaria n.º 53-A/2020 que marca para 16 de maio de 2020 as eleições para os delegados municipais do conselho geral e para a direção da Casa do Douro e aprova o regulamento eleitoral. A comissão eleitoral, que tem um mandato de três anos, é presidida por Gilberto Igrejas, presidente do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP), tendo como vogais Carla Pereira e Agostinho Santa. Será a comissão eleitoral a definir e divulgar os prazos para cada uma das fases do processo eleitoral. Caberá ao IVDP a manutenção e atualização de um sítio na Internet onde seja divulgada toda a informação relevante para o processo eleitoral, nomeadamente a legislação aplicável, avisos, esclarecimentos e decisões da comissão eleitoral, cadernos eleitorais e listas de candidaturas. De acordo com o regulamento eleitoral, são eleitores para os órgãos da Casa do Douro “todos os viticultores, pessoas singulares ou coletivas, legalmente reconhecidos pelo Estado através do Instituto dos IVDP que adquirem a qualidade de associados singulares da Casa do Douro, nos termos do n.º 1 do artigo 4.º dos estatutos”. Excluem-se “os viticultores considerados associados coletivos, nos termos do n.º 4 do artigo 4.º dos estatutos”. Para delegados municipais do conselho geral e membros da direção da Casa do Douro, “são elegíveis todos os associados singulares com capacidade eleitoral ativa”. As listas de candidatos terão de ser entregues à comissão eleitoral entre o 38.º e o 29.º dia útil anterior à data marcada para as eleições. O regulamento refere que é “incompatível o exercício de funções nos órgãos da Casa do Douro por parte de todos os que com ela tenham uma relação de emprego, prestação de serviços ou de fornecimentos”. O cargo de membro da direção é incompatível com a de membro do conselho geral. Os eleitores são distribuídos por cadernos eleitorais organizados por freguesia, dentro de cada círculo eleitoral, e cada eleitor é inscrito no círculo eleitoral onde se verificar a maior quota da sua produção. Se nenhuma das listas a sufrágio obtiver maioria absoluta dos votos expressos, realizar-se-á uma segunda volta entre as duas listas mais votadas, no mesmo dia da segunda semana seguinte, nos mesmos locais e no mesmo horário. Em julho, o Presidente da República promulgou o decreto-lei que reinstitucionaliza a Casa do Douro como associação pública de inscrição obrigatória, depois de ter vetado a primeira versão do diploma. A versão reapreciada do documento foi aprovada em 05 de julho com os votos favoráveis de PS, BE, PCP, PEV, PAN e pela então deputada social-democrata eleita pelo círculo de Vila Real, Manuela Tender, e os votos contra de PSD e CDS-PP. A Casa do Douro, criada em 1932, viveu durante anos asfixiada com uma dívida ao Estado. O Governo PSD/CDS-PP concretizou uma alteração legislativa, transformando o estatuto de direito público e inscrição obrigatória em associação de direito privado e de inscrição voluntária. A natureza pública da instituição foi extinta em dezembro de 2014, sendo posteriormente aberto um concurso para a gestão privada da instituição, que foi ganho pela Federação Renovação do Douro em detrimento da outra concorrente, a Associação da Lavoura Duriense. A Associação da Lavoura Duriense já anunciou que vai apresentar uma candidatura aos órgãos sociais da Casa do Douro.